Idiomas:

Solicite Orcamento

NEWSLETTER

descricao da imagem

Atualmente ocupo o cargo de Presidente da ABRADi-ISP, entidade que atende aos agentes digitais do interior paulista, tem sede em Bauru e capítulos em outras 9 cidades do estado de São Paulo. Por este motivo, viajo com uma certa frequência, participo de seminários, cafés da manhã de negócios e percebo que muitos empreendedores não se atentaram para a importância de um networking de qualidade.

teste
Foto: André Bianchi

Para começar, praticar networking não é simplesmente realizar uma troca de cartão de visita. É muito mais. É estabelecer novas conexões, criar novos canais para sua empresa, estar atento a novas oportunidades.

Confesso que levei um tempo para entender tudo isso e ainda estou aprendendo, mas tudo começou a mudar quando meu sócio e eu recebemos um SPAM de uma empresa oferecendo um curso para estratégias e liderança que seria realizado na Ilha de Comandatuba, na Bahia, no início de 2010. Seriam três dias, com curso das 08:30h às 13:00 horas. A tarde era livre para atividades.

Já no primeiro dia, durante o coffee brake, conhecemos uma das maiores advogadas do Brasil na área tributária, me lembro de que tínhamos acabado de comprar uma empresa que conhecemos meses antes na feira do Empreendedor do Sebrae, em 2009, na área de geração de nota fiscal eletrônica. Imagine estar em um local onde uma das pessoas mais importantes da área estava fazendo o mesmo curso que você. Conversamos rapidamente e ela nos disse para ir à tarde até a área de piscina que poderíamos conversar a respeito.

Assim que terminou o curso, almoçamos, e fomos logo em seguida para a piscina, lá encontramos a Dra. e em seguida mais alguns conhecidos dela, empresários também de São Paulo que já tinham participado destes cursos anteriormente e juntaram-se a nós. Por três dias tive a oportunidade de aprender muito, trocar experiências e ouvir muito, na verdade acho que só ouvi. Após retornarmos para São Paulo os contatos continuaram, fechamos negócios com alguns, outros indicaram clientes e comecei a entender o que era Networking.

Comecei a participar de diversos cursos como este, filiei-me à associações, fundamos o Polo Regional de Software de Santa Cruz do Rio Pardo e Ourinhos e somente em seguida que fui ouvir sobre VCL (Visibilidade, Credibilidade e Lucratividade).
 

Tudo começou a ir muito rápido, em 2010 fui convidado pela AMCHAM (Câmara Americana de Comércio) para participar de uma Missão Internacional em Virginia, Maryland, Washington e Nova York, foi muito bom, tive oportunidade de conhecer o modelo americano de negócios, a agilidade com que eles fazem as empresas decolarem. Retornei ao Brasil com muitos cartões de visita de empresas americanas e até cheguei a fazer algumas parcerias para desenvolvimento.

Com tantos cartões de visita guardados, percebi que já não me lembrava de alguns, então comecei a catalogá-los. Um amigo me ensinou que ele costumava anotar no verso do cartão a situação que conheceu tal pessoa, ou até mesmo alguma informação particular que acaso fosse conversado durante o bate-papo. Lembro-me que ele me contou um caso que conheceu uma vez um executivo de alto escalão de uma empresa, conversaram por alguns minutos e que o mesmo falou a respeito da infância dele em uma determinada cidade do interior de São Paulo, ele anotou isso no cartão de visita. Meses depois, precisava contatar esta pessoa e iniciou o e-mail abordando informações a respeito de ele estar vindo ao interior recentemente, citando sua respectiva cidade, minutos depois recebeu uma resposta ao seu contato com a indicação que necessitava.

Recentemente eu contratei um sistema simples on-line que me permite cadastrar todos meus contatos on-line e com um campo para poder colocar texto com particularidades sobre o contato.

Em fevereiro de 2014, por meio de uma das empresas que tenho participação, a Viking Network, uma de suas atividades é a de realizar Missões Internacionais ao Vale do Silício nos EUA, com objetivo de levar empresários e empreendedores brasileiros para visitarem Aceleradoras de Startups, Universidades como a Stanford, Empresas como Google, Facebook, Evernote, Workshops com fundos de investimento e praticar muito Networking. Fico muito feliz de ver que os empresários brasileiros estão perdendo o medo e buscando informações a respeito de internacionalizar suas empresas ou até mesmo estar próximo de ambientes que lhes permitam assimilar novidades e tendências.

Tem muita empresa americana interessada em parcerias com empresas no Brasil e nada melhor do que ir lá, conhecê-los e trocar cartões.

Por meio do networking fiquei sócio de novas empresas, encontrei novas oportunidades, fiz novas amizades.